13.9.08

Web 2.0

8 comentários:

N@ND@ disse...

Oi Prof..
Consegui fazer meu pbwiki, meu endereço é: nanda10.pbwiki.com
Bjsss
Nanda!!

N@ND@ disse...

Olá...
O tema de casa ainda vou fazer, pois tenho que escutar a palestra do pedro demo...Mas esta semana eu já vou fazer e deixar postado no meu Blog, e vc pode dar uma espiadinha!
Bjsss
Nanda!!

N@ND@ disse...

Oi Prof..
Desculpe a demora,eu estava sem internet, mas agora vc pode vizualizar no meu blog sobre a palestra..
Bjss
Nanda!!

Rafael Melo disse...

Olá!
Recentemente, acompanhando essa tendência que dentro em breve será naturalmente inescapável, criamos o blog da nossa escola. A mediação é feita pelos professores de informática, mas alunos e alunas têm liberdade para postarem seus trabalhos e pensamentos nessa página. Inclusive incentivamos a produção de trabalhos para que publiquemos lá. Nossa escola dispõe de um laboratório de informática bem equipado, fruto de uma parceria do município com o governo do Estado da Bahia (Programa Cidadania Digital). Visite nossa página para que possamos trocar não apenas 'ibope', mas idéias e experiências.
Um abraço!
Prof. Rafael Melo

Fabiano Franz disse...

Olá! Gostaria de deixar uma sugestão de site muito interessante: literar.org é um site para produção literária onde qualquer um pode ser um autor. Aproveite!

Anônimo disse...

Adorei o blog, sou professora e estou pesquisando sobre blogs pedagógicos. Sucesso pra vcs!

Neclea disse...

Néclea Dantas de Carvalho
Secretaria Municipal de Educação de Nossa Senhora do Socorro.
A partir da minha prática pedagógica vivenciei no ambiente do e-proinfo espaço de reflexão para minha atuação no ambiente em sala de aula, promotora de uma aprendizagem saudável, que desperte a curiosidade dos meus alunos motivando-o a buscar novos conhecimentos. Entendo que para que isso ocorra é necessário considerar o ato de aprender como uma via de mão dupla, onde o professor ensina e aprende, assim como o aluno, permitindo que ambos desenvolvam ações de troca, numa escuta acolhedora e reflexiva. Para construção dessas ações é preciso que se estabeleça uma relação confiança e que os resultados estejam a serviço de uma auto avaliação que permite uma mudança e aperfeiçoamento das práticas do cotidiano escolar.
Indentifiquei-me como uma professora em construção de minha própria aprendizagem diante das novas tecnologias, vivendo hoje, um tempo em que tudo está vinculado à capacidade que cada indivíduo tem em transformar seus conhecimentos adquiridos num conhecimento coletivo. O ato de aprender é fortalecido pela relação estabelecida com o outro, num ambiente de troca e respeito às diferenças. A partir desse contexto, algumas discussões se formam entorno da figura do professor no cenário educacional: 1. Como se constitui a identidade desse professor, muitas vezes colocada nesse cenário como protagonista? 2. Como e por quem deve ser alimentada essa identidade? Esses são questionamentos que compões na atualidade, eixos de debates e alvo de programas e ações que promovem a formação continuado do professor. Segundo Nóvoa falar da profissão docente é analisar o grau de complexidade que envolve sua trajetória e dentre os desafios estão a forma como o profissional se vincula com as tecnologias e a complexidade social que permeia suas funções e atuação. Na atuação profissional estão a responsabilidade de transmitir e promover novas aprendizagens de forma significativa e sistemática, tendo como foco o sujeito como um todo, não apenas um ser cognitivo, mas um ser cognitivo, afetivo e orgânico dentro de um contexto onde família e escola constituem células de igual importância para a formação do ser. Nesses limites que norteiam uma ação pautas numa aprendizagem significativa a identidade do professor, também deve ser delineada nos moldes do ser total, onde se busca não só o conhecimento para transmiti-lo de forma didática, numa relação de troca e promotora também do auto conhecimento. A formação continuada é um caminho para o fortalecimento dessa identidade, um espaço constituído não só dentro dos muros escolares, mas também fora, num espaço que por excelência deve tornar legítimo suas ações pedagógicas e promotoras de reflexões e trocas de experiência. Essas questões estiveram presentes na trajetória do curso que muito acrescentou , trazendo sugestões e possibilidades de troca e novas informações que se integraram a ações já realizadas, sem dúvida, além de produtivo foi revelador e gratificante.
Obrigada!!!!
Néclea Dantas de Carvalho.

Prof.: JOSÉ CARLOS disse...

O professor como um mediador deve de forma pacifica e inteligente fazer com que seus alunos possam se habituar e trabalhar em todas elas, procurando incentivar e apoiar seus alunos para o uso das tecnologias que lhes são ofertadas, com um objetivo precípuo de conseguir alunos críticos, responsáveis e verdadeiros cidadãos.
Logo o uso das tecnologias em um contexto geral fortalece o aprendizado, abre novos horizontes e amplia o campo das oportunidades rompendo assim com as paredes da sala de aula e da escola, criar nossos próprios laboratórios, fazendo experiências genuínas e integrando os alunos todos os espaços dentro da nossa sociedade como um todo.pois embora a educação 2.0 o seu o termo tenha uma conotação de versão nova nas redes sociais, contudo não se refere à atualização nas suas especificações ou moldes técnicos, mas a uma mudança na forma como ela é idealizada por seus usuários e desenvolvedores, ou seja, um novo ambiente de interação social e humana que hoje engloba inúmeras linguagens e motivações.
Parabéns por seu texto construtivo e educativo.
http://projetosead.blogspot.com